terça-feira, 29 de novembro de 2011


EM DOIS ANOS...
 
Em dois anos pode se conhecer o amor; pode transformar o que sou. Pode-se optar em ser pior ou em ser melhor.
Em dois anos nasce e cresce uma flor, uma dor, sorrisos, pessoas...
Em dois anos “um” pode se tornar “dois”, desiguais e iguais pode dar-se as mãos.
Crenças nascem, pessoas crescem, muda-se de trabalho, de hábitos, de rua, de cidades... De vida!
Em dois anos há encontros e reencontros, arrisca-se pelo que vale, dar-se pelo que importa, rompem-se barreiras, constrói-se e desconstrói muitas coisas dentro e fora de nós.
Em dois anos o incompleto se completa; os sonhos se realizam, nascem novos, aprende-se a domar as paixões e a cuidar de amores verdadeiros e reis.
Em dois anos enfrentam-se decepções, mortes, quedas, lágrimas, perdas... Porém, também em dois anos goza-se de vitórias, de soerguimentos, nascimentos, alegria, de paz, de companhia... Experimenta-se o transcendente, o amor!
Em dois anos artistas de TV se vão; crianças nascem; plantas brotam, pessoas se separam outras se unem. Em dois anos o mundo não pára, assim como a vida das pessoas.
Potências econômicas mundiais despencam, homens e mulheres salvam “baleia” em cidade pacata.
Em dois anos muitos desmatam, outros plantam; muitos odeiam tudo, a maioria ama!
Simplesmente se vive em dois anos... Humildemente se reconhece como parte do outro porque na maioria desse tempo o amor é o mais incessante dos exercícios.
Parabéns por tudo que se vive e se nasce em dois anos! Vida longa!
In two years, new!

Nenhum comentário:

Postar um comentário